Investidores do Tesouro Direto aumentam a demanda por títulos de longo prazo

Em junho, 16,4% das vendas no programa partiram de papéis com prazos acima de 10 anos, a maior fatia desde dezembro de 2018

SÃO PAULO – Os investidores do Tesouro Direto aumentaram a procura por títulos públicos de vencimentos mais longos. Dados do mês de junho mostram que 16,4% das vendas no programa no período corresponderam a títulos com vencimentos acima de dez anos, maior fatia desde dezembro de 2018 (19,5%). Já os papéis com prazo entre cinco e dez anos representaram 80,1% do total, enquanto os títulos com vencimentos entre um e cinco anos responderam por 3,5% das vendas.

Em meio a expectativas de queda dos juros básicos da economia neste ano, com o início do novo ciclo já neste mês, na reunião do Banco Central dos próximos dias 30 e 31, o mercado vem ajustando sucessivamente suas posições. Com isso, os retornos pagos pelos títulos públicos têm diminuído continuamente, o que, por consequência, tem provocado a valorização de preços dos papéis.

Os principais beneficiados têm sido os títulos com vencimentos mais longos, que carregam os maiores riscos. Conforme dados da B3, em junho, o Tesouro IPCA+ 2045 teve valorização de nada menos que 12,8%, com ganhos da ordem de 44%, no primeiro semestre, e de 86%, em 12 meses.

Também chamou atenção o desempenho do papel Tesouro IPCA+ com vencimento em 2035, com alta de 7,8%, em junho, de 27%, no semestre, e de 52%, em 12 meses.

Neste mês até ontem (23), todos os títulos públicos disponíveis para compra no Tesouro Direto apresentavam alta de preço, com destaque para o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 2029, com apreciação de 2,31%.

→ Thiago Nigro explica o lado mais lindo da carreira de assessor de investimentos: sua renda cresce todos os anos

Maior estoque; mais investidores

Com vendas de R$ 2,68 bilhões e resgates de R$ 1,683 bilhão, o Tesouro Direto fechou junho com emissão líquida de R$ 996,7 milhões. Se em maio os títulos mais demandados pelos investidores foram os indexados à inflação, no mês passado, a preferência ficou com o Tesouro Selic, cuja participação nas vendas atingiu 49,1%. Os títulos Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais corresponderam a 35% do total e os prefixados, a 15,9%.

Em junho, o estoque do Tesouro Direto alcançou o montante de R$ 56,9 bilhões, um aumento de 2,5% em relação a maio e de 16,6% sobre junho de 2018. Os títulos remunerados por índices de preços respondem pelo maior volume, de 48,2%. Em relação ao prazo, papéis com vencimentos entre cinco e dez anos correspondem a 43,9% do estoque.

Com o acréscimo de 37.898 participantes, o número de investidores ativos no Tesouro Direto chegou a 1.072.990 em junho, um crescimento de 73,2% nos últimos 12 meses.

Invista no Tesouro Direto a partir de R$ 30;

Deixe uma resposta