Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta sexta-feira

Por Geoffrey Smith 

Investing.com – Os mercados da China interrompem o rali enquanto os EUA intensificam as sanções contra seus funcionários, mas novos dados econômicos apontam para uma recuperação contínua. 

Do outro lado do Pacífico, os EUA registram outro recorde para novos casos de Covid-19 e a AIE alerta que a situação pode afetar a demanda de petróleo pelo resto do ano. A indústria se recuperou bastante na França e na Itália à medida que os bloqueios eram relaxados. 

Veja o que você precisa saber nos mercados financeiros na sexta-feira, 10 de julho.

1. Mercados chineses desaceleram

O frenesi das ações da China diminuiu após os bancos estatais cortarem suas compras, enviando um sinal que foi obedientemente seguido pelo exército de traders de varejo que invadiram o mercado nos últimos dias.

O índice de ações CSI 300 caiu 1,8%, mas ainda ganhou mais de 14% nos primeiros 10 dias deste mês. Isso acontece no contexto de uma recuperação econômica que está ganhando força (novos empréstimos atingiram seu nível mais alto em três meses em junho), mas também no contexto de um antagonismo cada vez mais claro entre a China e o Ocidente. Os EUA sancionaram a principal autoridade regional na província ocidental de Xinjiang na quinta-feira e também aprovaram uma atualização das defesas aéreas de Taiwan.

2. Novos casos de vírus nos EUA atingem novo recorde; mortes aumentam

Os EUA publicaram um recorde de 63.000 novos casos de Covid-19 na quinta-feira, de acordo com dados da Johns Hopkins.

Texas, Califórnia e Flórida registraram novos recordes de mortes, enquanto o Arizona registrou o maior número de novas infecções em seis dias. O Condado de Harris, que inclui Houston, e Miami-Dade, relataram um uso crescente de unidades de terapia intensiva.

O estado de Nevada restabeleceu restrições a restaurantes e bares, enquanto Kentucky entrou na lista de estados que exigem que máscaras sejam usadas em espaços públicos.

Além disso, no outro lado do Pacífico, Hong Kong fechou suas escolas em resposta a um conjunto de novos casos descobertos nos últimos dias, enquanto a segunda maior cidade da Austrália, Melbourne, permanece em quarentena.

3 Ações devem abrir em baixa

Os mercados de ações dos EUA devem abrir em baixa mais uma vez, já que a disseminação do coronavírus em grande parte do sul e oeste do país lança mais dúvidas sobre a capacidade da economia de sustentar sua recuperação.

Às 8h31 (horário de Brasília), o contrato futuro de Dow 30 caía 96 pontos, ou 0,4%, enquanto o contrato futuro de S&P 500 caía 0,3% e o Nasdaq 100 futuros caía 0,1%.

As ações em foco mais tarde podem incluir a HP (NYSE:HPQ), a maior fabricante de PCs do mundo, depois de dados mostrarem um aumento nas vendas de PCs no segundo trimestre, à medida que as pessoas se preparavam para mais trabalho em casa. A Biontech (NASDAQ:BNTX) e a Pfizer também podem estar em foco depois que o ex-CEO disse ao Wall Street Journal que seu medicamento experimental para o tratamento da Covid-19 pode estar disponível até dezembro.

Na Europa, as ações estavam prestes a terminar a semana em baixa, já que as atualizações da cervejaria Carlsberg (CSE:CARLa) e da Dufry (SIX:DUFN), rede de lojas isentas de impostos, sinalizaram um duro caminho pela frente.

4. Produção industrial recupera acentuadamente na França e na Itália

A recuperação econômica na Europa parecia um pouco mais segura depois que a França e a Itália registraram grandes recuperações na produção industrial em maio.

A produção francesa aumentou 19,6% no mês, enquanto a Itália – que sofreu uma queda mais acentuada devido à intensidade da epidemia em suas províncias mais industrializadas – registrou uma recuperação de 42,1%.

Os números estavam bem acima das expectativas e compensam um pouco os dados surpreendentemente fracos da Alemanha no início desta semana.

Além disso, o presidente do Conselho da UE, Charles Michel, propôs um compromisso para romper o impasse nas negociações sobre o fundo de recuperação de 750 bilhões de euros, o que aumentará a quantidade de transferências entre estados para níveis sem precedentes.

Os indicadores econômicos trouxeram esperança e ânimo aos investidores. O índice pan-europeu subia após iniciar a sessão em baixa, com alta de 0,51%. Enquanto o euro subia 0,1%, para US$ 1,1296.

5. AIE alerta sobre demanda de petróleo

Os preços do petróleo caíam para o menor nível em quase duas semanas depois que a Agência Internacional de Energia alertou para os riscos em suas previsões de demanda devido à disseminação do coronavírus em seu último relatório mensal.

“O grande número e em alguns países a aceleração do número de casos de Covid-19 é um lembrete perturbador de que a pandemia não está sob controle e o risco para nossas perspectivas de mercado quase certamente está crescendo”, afirmou a AIE.

No entanto, a agência com sede em Paris elevou sua previsão de demanda média de petróleo em 400.000 barris por dia, para 92,1 milhões de bpd, para refletir o fato de que o consumo havia caído menos do que o estimado anteriormente no segundo trimestre.

Às 8h34, os contratos futuros de petróleo caíam 1,3%, para US$ 39,09 por barril, enquanto o índice internacional Brent caía 1,2%, para US$ 41,84 por barril.

Deixe uma resposta